quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Elefantes nunca esquecem

Dizem que os elefantes nunca esquecem os fatos que marcam suas vidas.

Se você acredita nisto (ou mesmo se não acredita), não deixe de ler o texto a seguir.

"Em 1989, Peter Davies estava de férias no Kenia depois de se graduar na Northwestern University.

Em uma caminhada pela savana ele encontrou-se com um bebê elefante que estava com uma pata levantada, já havia sido abandonado pela sua mãe e pela manada por não poder mais caminhar.

Peter se aproximou muito cuidadosamente, o pequeno elefante estava furioso e estressado.

Peter ficou de joelhos, examinou a pata do elefante e encontrou um grande pedaço de madeira enfiado na sola da pata.
O mais cuidadosa e gentilmente possível Peter removeu com a sua faca o pedaço de madeira.
Neste momento o elefante, vagarosamente, colocou sua pata no chão e fixou seu olhar diretamente nos olhos de Peter por tensos e longos segundos, que mais pareciam horas...
Peter ficou congelado pensando que seria atacado.

Depois de um certo tempo o elefante fez um barulho bem alto com sua tromba, virou-se e foi embora, provavelmente em busca de sua mãe e da manada.

Peter nunca esqueceu o elefante e tudo o que aconteceu naquele dia.

Vinte anos depois, mais precisamente em 23 de maio de 2009, Peter estava passando pelo Zoológico de Chicago com seu filho adolescente quando eles se aproximaram da jaula dos elefantes.
Uma das criaturas se virou e caminhou para um local próximo onde Peter e seu filho, Cameron de apenas 15, anos estavam.
O grande elefante encarou Peter, como há 20 anos atrás, levantou sua pata do chão e a abaixou por várias vezes emitindo altos sons enquanto encarava o homem.
Todos ao se redor correram em desepero pois imaginaram que o forte e poderoso animal pudesse romper a barreira das grades e atacá-los.

Neste momento Peter, segurando seu filho pela mão para que não se amedrontasse, relembrou do encontro em 1989 e reuniu toda sua força e coragem, escalou a grande grade e entrou na jaula.
Andou diretamente até o elefante e o encarou diretamente nos olhos, como que retribuindo o olhar daquele marcante momento na savana.

O elefante emitiu um som alto, Peter sorriu e abraçou-o com a ternura que um pai abraça o filho.
Neste momento o elefante enrolou sua tromba na perna de Peter e o jogou a uns 8 metros de distância, diretamente contra a parede e pisoteou-o por várias vezes, até matá-lo.

Não era o mesmo elefante... ele se enganou!"

Pois é... recebi esse e-mail ontem e veio com a seguinte mensagem ao final:
"Esse e-mail é dedicado a todas as pessoas chatas que mandam aqueles e-mails melosos, que fazem você se sentir um imbecil.
E que acham que o final feliz vai fazer você mudar sua maneira de encarar a vida."

Enviado pelo Dr. Luiz Antonio Catay em 23/02/2010.

1 comentários:

Aliz - jornALIZta disse...

Ahhhhh... o que há de errado com os finais felizes? Snif... snif.. magoei!

Postar um comentário