quarta-feira, 21 de abril de 2010

Tiradentes, o outro dia da mentira


O dia de Tiradentes é uma mentira.

Tiradentes era um dos líderes da Inconfidência Mineira, um movimento escravista, elitista, que tinha como objetivo separar Minas da colônia, para que seus afortunados chefes desfrutassem de todo o ouro que Portugal levava para a metrópole.

Tiradentes foi o único condenado à morte - e executado -, porque era o mais pobre (já naquela época era assim...). Os outros eram ricos aristocratas mineiros.
Ele permaneceu esquecido por tudo e por todos, até o advento da proclamação da república.

Naquele momento, para envolver as massas em torno de um ufanismo nacional que consolidaria a nascente república, era preciso criar um herói nacional.

Como naquela época não havia Ronaldinho e nem Ayrton Senna, algum historiador lembrou de Tiradentes. Inventaram que ele fora a favor da liberdade para todo o Brasil, que dera sua vida para quebrar os grilhões que nos prendiam a Portugal, que ele era abolicionista e até que ele parecia com Jesus.

Bela jogada de marketing. Pediram para alguns artistas retratarem Tiradentes com longos cabelos e barbas, semelhante à imagem secular que temos (esta também construída) de Jesus Cristo.

Para isso, tiveram que deixar de lado até a evidência histórica de que, naquela época, os condenados à morte tinham a cabeça e a barba raspadas. Nada mais propagandístico do que um Deus na cruz. Nada mais cativante do que associar um messianismo salvador e libertário - Tiradentes e seu olhar obstinado, em direção à forca - à identidade de uma nação em formação que precisa de ídolos.


Por Luis Paulo Domingues, jornalista, professor e compositor, publicado em 02/04/2010 no jornal Bom Dia Bauru.

2 comentários:

Aliz - jornALIZta disse...

Dez! Dez! Dez!
A História contada nas escolas, bem como os absurdos que ainda mantém as igrejas, são mentiras perigosas que atrasaram em muito a nossa evolução humana e espiritual. Uma real falta de responsabilidade!
Muito bom esse artigo!

Anônimo disse...

Assim como Tiradentes outra farsa é a do famigerado Tancredo Neves, sempre ficou em cima do muro, teve altos cargos no Brasil sempre de conchavo com os poderosos da situação e sempre mamou nas tetas do Brasil enriquecendo seus negócios. Acreditem se quiser!!!!!Marcos Leão (Betim MG)

Postar um comentário