domingo, 23 de maio de 2010

Petições por e-mail não têm valor!

Com bastante frequência recebemos mensagens com denúncias e abaixo-assinados relacionados aos animais, ao meio-ambiente e às vezes dirigidos aos políticos.

Algumas destas mensagens pedem ao internauta que adicione sua "assinatura" no próprio corpo do e-mail.

E indicam que, ao se chegar a um certo número de assinaturas (500, por exemplo), a petição deve ser enviada para um determinado endereço de e-mail.

Por exemplo, o endereço peta2@peta.org tem sido bastante usado em tais mensagens. Enviamos para lá um pedido para que comentassem sobre as petições e jamais obtivemos resposta. É bem provável que sequer acessem esta conta.
Estas petições por e-mail não tem valor algum!

A denúncia algumas vezes até é verdadeira (como no caso da matança das focas no Canadá), mas é impossível alguém checar a autenticidade das assinaturas, tampouco existe quem de fato as receba, as controle e lhes dê alguma utilidade, algum encaminhamento. Nada de útil é feito com elas.

Uma pessoa pode assinar várias vezes com nomes diferentes, não há como averiguar. Veja abaixo:

209 - Kátia Fiori - Andradas/MG - Brasil
210 - Lucas Hiroshi - Mogi das Cruzes - BR
211 - João Silvério - Manaus -AM
212 - LUCIA APARECIDA DE SOUZA - ROMA/ITÁLIA
213 - Steve Klauski - Huston/TX USA

Para ilustrar, criamos as assinaturas fictícias acima.
Como saber se são verdadeiras ao vê-las relacionadas em um e-mail?
Não é possível.

Outro ponto negativo neste fato é que as pessoas que assinam acham que estão fazendo algo para mudar uma determinada situação e na verdade sua ação não tem efeito algum.

Essas mensagens normalmente são criadas por spammers (pessoas que enviam e-mails não autorizados aos internautas, com publicidade de produtos, por exemplo). Eles aproveitam da boa fé das pessoas repassam as mensagens para seus contatos deixando visíveis os destinatários. Estes endereços são coletados pelos spammers para formar "mala-direta" e vendê-la.

Colabore não repassando este tipo de mensagem!

Atenção!
Não confundir as petições por e-mail, citadas acima, com as petições virtuais (www.petitiononline.com, www.abaixoassinado.org, etc.) ou com as petições físicas.
Estas, sim, podem ser instrumentos de pressão política, dependendo da forma como forem elaboradas e do encaminhamento que lhes for dado pelos responsáveis.

Recebido do Instituto Nina Rosa (www.institutoninarosa.org.br) em 23/05/2010.

1 comentários:

Aliz - jornALIZta disse...

Eu nunca assino essas listas. Dói no coração, mas é verdade isso que você publicou: elas não tem valor algum, não chegam ao destino proposto. Pior ainda quando pedem nome completo, endereço e número de documentos, como RG e CPF. Perigo total cair nessa! Mas essa malícia cibernética também é difícil de ser desenvolvida, tem muita gente começando a navegar agora, engatinhando nesse mundo virtual, sem entender bem como as coisas acontecem por aqui. Esse despreparo abre brechas para muitos golpes.

Beijo

Postar um comentário